É tão bom estar a trabalhar com o que gosto, com quem eu gosto... estar cercada de coisas boas, pessoas boas e essencialmente, ser amada (e amar)... Será esse o bom "karma"?

É o que desejo a todos, um bom "karma" para 2011!





Curiosa eu... olha para o teto, para baixo, para os lados... espreitadela, ponta dos pés... vale tudo em dia de Festa.

Festa 1 na Lx Factory (Open Day).
A caminho da Festa 2





Era dia de chuva, de vento, de neve... dia para ir à rua, mas também dormir até mais tarde, dia de preguiça, dia de comer bem (mas sem exagero), dia dos santos (todos eles).
Foi o dia dos meus anos.



Convites aparecem de vez em quando: um jantar de anos, um café para "pôr a conversa em dia", um lançamento de livro. Este em particular, meio convite/meio desafio, foi daqueles que não dão para dizer não. Obrigada Maria pelo convite.





No chão que pisamos, histórias por contar.

Hoje descobri um botão que dizia: 26 mensagens a moderar (ou algo do gênero)... ops! Obrigada aos que enviaram (e estranharam).





De um dia bem passado, só boas recordações ficam...

Caldas da Rainha.





Monserrate, Sintra





Lentes improvisadas com efeitos engraçados: um belo pequeno-almoço na Saudade e a fazer hora em S. Miguel.





Que bonita é a natureza e quantas formas e desenhos curiosos ela nos dispõe (de bandeja), é só dar largas à imaginação...





Ponta Delgada e Furnas, 49 e 95.





Tapetes made in S. Miguel, concebidos pela mãe natureza. Beleza pura.





Pontos de Ben-Day.





Enquanto centenas atropelavam-se para assistir o concerto ao ar livre no Largo do São Carlos, deixamos o "recinto lotado" para tomar um café em outro Largo (do Carmo). Lá estavam eles às voltas...



Graças à querida Elodie, já não sou a última da fila.

A estrear uma nova etiqueta: "Vamos ser rebeldes?". É uma frase que minha amiga Cris volta e meia diz, uma espécie de quebrar a rotina, ser diferente.

Lembram-se da Gorda? Boa nova: ela foi "adoptada".

--->





Calor...





A dança dos candeeiros e das cadeiras.





Ainda fotos de Málaga. De olho no céu, com os pés no chão.





Malageños ao sol.



Nos livros aos quadradinhos, cada quadrado conta um pedaço de uma história.
Neste livro, que não é um livro de banda-desenhada nem nada assim parecido, cada quadradinho (de tecido) tem também uma história para contar.
Há uma manta de retalhos, uma avó com boa memória e muitos netos de ouvido atento. À noite, ao deitar, não são precisos livros: basta à avó olhar a manta e todas as personagens e enredos que lá moram, para a sessão começar...

Atencion!





Málaga, ES

Mish Mish Mish





Rufus, o gato malabarista. Para para o colectivo Mish Mish Mish.

A serigrafia foi o processo eleito pela Moncho Ediciones.





Estavam a apontar... para algures (ou nenhures)?

Córdoba, ES