Geralmente o dia 1 passa desapercebido, quase no (meu) esquecimento. Este ano foi diferente. Belo dia, sem chuva, entre amigos, mensagens bonitas e até esta foto-prenda, os dinos da minha querida amiga Kaja cantando parabéns.

39, quase 40... e assim passou o dia 1.





Um produto duplamente nacional: a matéria-prima (pinho português) e o artesão Tomás Viana.


A parede por trás da parede do antigo Convento da Trindade.


Os objetos mutantes de Fernando Brízio, até dia 27/11.





Por cima da Cervejaria Trindade num domingo ao fim do dia.





Foi há dois fins-de-semana atrás. Ainda estavam resquícios de uma festa-lançamento que decorreu na véspera.





Um sítio com alma.





As bonitas fotografias do Nuno e a música para fazer sonhos (e voos) do Ivo na Casa Verde, Almáa Hostel, em Sintra.





Adoro ir ao Porto. Ainda mais para lançar um livro (na verdade, dois), inaugurar uma exposição, conhecer pessoas (tão especiais)... e comer bem, lógico.
Fica o sabor de quero mais (e mais).

Obrigada Rui e Júlio. Obrigada Inês.





Ela voltou ao canil. E lá fomos passeá-la pelos caminhos de Sintra.

Gorda e companheiros, prontos para adoção.
Apadrinhar também vale (ouro)...
Ajudar também...

Arrepio





sítios em que os segundos parecem minutos e que a chuva miúdinha não molha, só faz pele de galinha.





A nossa Hoya Carnosa (vulgo flor de cera) floriu este ano, pela primeira vez. Tão pequena, tão delicada, tão bela.
Para comemorar, só um Imperador (ou dois, se calhar) .
Gracie Isita.





Baralho, matraquilhos (pebolim), estrelas no céu... só me fazem (re)lembrar as férias da minha meninice.





Aldeia das Dez.

Festa do Pão





Malhar-Erguer-Moer-Peneirar. O pão preparado e assado na hora. Cantorias, compotas, vinho e azeite... autêntico, caseiro, caseirinho.

Mas bonito mesmo de ver (e viver) foi o reencontro entre avós, filhos, tios, primos e amigos...
Carnicães.





Domingo de manhã no Café Tati.







Cores, aromas, sabores... ainda cá os sinto.





Chiang Mai e Krabi, Tailândia.







A natureza deixa a sua marca (com a ajuda do bicho-homem, de vez em quando).
Província de Krabi, Tailândia.



Tomei um chá de sumiço, mas já estou de volta.

Foi só um "cheirinho" de Zurich. Algumas horas pelas ruas e ruelas antes de apanhar o próximo vôo... rumo à Tailândia.







Aaatchim... este ano tem sido difícil.